Obrigações acessórias: o contador trabalhando para o Fisco

In News, Últimas Notícias by Gabriela

A Tecnologia revolucionou a Profissão Contábil. Mas ela ainda não conseguiu solucionar um dos principais incômodos dos contadores: o gigantesco volume de obrigações acessórias e, consequentemente, o tempo tomado para atender às expectativas do Fisco.

A verdade é que boa parte dos empresários desconhece as obrigações acessórias, acredita que a obrigação termina no recolhimento de tributos. O Contador não. Ele conhece bem a famosa “sopa de letrinhas”: DIRF, DCTF, NF-e, etc…

A modernização da administração tributária através do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) aprimorou a fiscalização e demandou uma mudança na cultura da empresa, aproximando o empresário de seu Profissional da Contabilidade. Mas a expectativa sempre foi de que ela também traria a redução das obrigações acessórias, permitindo ao contador mais tempo disponível para trabalhar o viés de consultoria e assessoria da profissão.

Apesar de existir desde 2007 – o SPED foi criado pelo Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, pouco se avançou nesse sentido, criando uma situação em que o contador trabalha para a empresa e para o Fisco.

Se por um lado a administração pública não utiliza a tecnologia de modo a beneficiar os Profissionais da Contabilidade de forma satisfatória, diversas soluções vêm sendo desenvolvidas por empresas privadas para facilitar a apuração e o envio das obrigações acessórias. A ideia é sempre utilizá-la como aliada para uma melhor gestão do tempo e aumento da produtividade, além de minimizar a ocorrência de erros e a perda de prazos.

Com soluções pensadas de Contador para Contador, a OCF Informática hoje oferece três produtos aos contadores: o Consulta e-CAC, que fornece a situação fiscal fazendária e previdenciária de todos os clientes do escritório de forma automatizada; o Consulta DEC, que entrega todas as notificações do DEC da Sefaz RJ de cada cliente; e o Painel Financeiro, um software completo para controlar e organizar receitas e despesas, importar todos os lançamentos financeiros para o software contábil do contador, digitalizar todos os documentos financeiros, evitando a necessidade de arquivo físico ou mesmo de remessa dos documentos pelo cliente ao escritório do contador.

Enquanto o Fisco não revê a quantidade de obrigações acessórias, cabe ao Contador lançar mão de ferramentas que facilitem e automatizem parte de suas atividades, para que possa atender aos clientes de forma satisfatória, aumentando sua credibilidade e autoridade no mercado.

Obrigações acessórias ainda sãp uma barreira para o trabalho do contador, por demandarem muito tempo